Clubes de futebol no Brasil: futuros clube-empresa

0
403

Será votado nas próximas semanas, na Câmara dos Deputados, o projeto de lei que transformará os clubes de futebol no nosso país em ‘clube-empresa’. Atualmente, os times não possuem fins lucrativos, o que acaba prejudicando muito o futebol brasileiro de certa forma. Um dos maiores atrativos para essa mudança, será os betting rights, cobrados das operados de apostas segundo decreto do Ministério da Economia.

Primeiramente, o que são os betting rights? Traduzindo ao pé da letra do inglês para o português significa ‘direito de apostas’. Nesse contexto entre clube e operadora (casa de apostas), nos referimos ao direito que os times tem sobre o que é lucrado com as apostas. Uma vez que uma aposta envolve certo clube, o mesmo possui o betting rights.

Até hoje, isso não aconteceu no Brasil. Porém, existe uma lei em andamento que regulamenta as apostas de quota fixa no Brasil. Uma das imposições da nova lei, é que parte arrecadação financeira seja destinada as entidades desportivas.

Essa nova lei estimula os clubes a se tornarem ‘clube-empresa’. Porém os times brasileiros não serão obrigados a aderir a nova proposta, adere quem quiser. Muitos encontram-se endividados, sendo assim, esse novo modelo de clube pode ser muito atrativo.

Sites de apostas

Os sites de apostas existem e muitos brasileiros apostam. Contudo, já que a modalidade ainda não é regulamentada no Brasil, todas as operadoras atuam no exterior. Dessa forma, todo o dinheiro apostado, vai para fora do país. Atualmente, os times de futebol brasileiro não se beneficiam com tais apostas. Com a nova lei isso pode mudar, os betting rights podem trazer uma boa quantia em receita para os clubes.

Projeto de clube-empresa

Os clubes brasileiros precisam estar em consenso com o novo projeto de lei. Segundo o parlamentar existem mais consentimentos do que divergências vindo deles. Uma vez que existem muitos pontos atraentes que poderão beneficiá-los.

Ainda não existe uma data precisa para que isto seja votado, contudo o deputado Pedro Paulo (relator da proposta) afirma que o projeto ganhou status no congresso nacional. Dentro da Câmara existe o apoio de Rodrigo Maia, e dentro do Senado de Davi Alcolumbre, Pedro Paulo e do ex-jogador Romário. O que já deixa a proposta muito a frente, tendo em vista tamanha popularidade.

Em geral os clubes esportivos são entidades sem fins lucrativos, não havendo assim o objetivo de obter lucro com a modalidade. Em países como a Inglaterra, já desde o começo do século 20 não funciona mais assim. Por lá, eles são intitulados como “empresas limitadas”, possuindo alguns direitos, porem limitados, de uma empresa comum. Um desses direitos são os betting rights e fins lucrativos.

No Brasil tais direitos não se aplicam, pois os clubes não são intitulados clube-empresa, ainda. E é exatamente isso que a nova proposta de lei visa mudar.

O Dep. Pedro Paulo defende que o projeto pode valorizar e potencializar o futebol brasileiro. Ele acredita que por meio dos clubes mais empregos podem ser gerados e a renda, consequentemente, aumentar.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui